Carta na Manga


Se importa de trocar de mesa?

Aos novos leitores, informo que o Serviço de Mesa trocou para este endereço. Perdão pelo transtorno, mas é para melhor servi-los!



 Escrito por Vicente Fonseca às 18:30 [] [envie esta mensagem] []






Das contratações que não dão certo

Contratações são apostas. Algumas de mais alto risco que outras, Mas, como apostas, podem dar certo ou não. Até aquelas tidas como as mais corretas e justificadas podem dar errado, por razões que às vezes não são imaginadas por ninguém.

Amoroso foi uma aposta do Grêmio. Um jogador de currículo internacional, de grande qualidade técnica. Contra ele, pesava o fato de estar com 33 anos, e há 1 ano vinha sem jogar um grande futebol. Na Azenha, nada deu certo para Amoroso. Nunca conseguiu ser titular, fez apenas 11 partidas, nenhum golo, perdeu pênalti, não teve nenhuma boa atuação e ainda foi expulso em um jogo decisivo de Libertadores.

O Grêmio é um clube tido como bom contratador. Não exagera nos gastos e faz contratações criteriosas e específicas. Lúcio, por exemplo, foi uma aposta de alto risco também. E como deu certo... Assim como Teco e William, Diego Souza e Tcheco, Gavilán e Sandro. Mas Amoroso não deu certo, Tuta pouco disse a que veio, Douglas e Kelly idem.

A decisão de dispensá-lo foi um acerto do Grêmio, em especial de Mano Menezes, que, segundo o empresário do jogador, foi o responsável pela sua demissão. Mais um acerto de avaliação do treinador gremista, acostumado a mandar embora jogadores de nome que não rendem (caso de Amoroso) ou que não se comprometem com os objetivos do clube, como Somália e Léo Lima.

De volta para casa

Marcelo Costa deixa o Palmeiras, onde não vinha sendo aproveitado, e fica por empréstimo no Juventude até o final do ano. Volta a seu clube de origem no delicado momento de ser um candidataço ao rebaixamento.

Precisa?

O Santos entregou à prefeitura do município um projeto de ampliação da Vila Belmiro dos atuais 20 mil para 37 mil lugares. A iniciativa é valida, mas, dado o baixo público do Peixe em 2007 (média de 8 mil na Libertadores), parece um tanto desnecessário.

Showrnalismo

As pseudonotícias que chegam da Europa sobre Pato são típicas de revistas de fofocas: "Pato conhece praia no sul da Itália", "Tietes aguardam por Pato em Porto Alegre". Preparemo-nos para um novo Ronaldo, em muito breve.

Cara de Libertadores

Para aqueles que apreciam um futebol tipicamente sul-americano, Defensor x Libertad, hoje, 21:15, pela Copa Sul-Americana, é uma ótima pedida. Primeira partida de um duelo eliminatório entre duas equipes que fizeram bonito na última Libertadores. O colunista, como fã do futebol da terra descoberta por Colombo, tentará assistir parte da partida. Toda, infelizmente, será impossível.



 Escrito por Vicente Fonseca às 10:17 [] [envie esta mensagem] []






O Silvio Lancelotti dos pampas

Convido todos aqueles que gostam de um bom restaurante e aqueles que igualmente apreciam se aventurar na cozinha a acessarem o Serviço de Mesa, mais novo projeto bloguístico do colunista, em parceria com minha consorte, Juliana Mota.



 Escrito por Vicente Fonseca às 19:36 [] [envie esta mensagem] []






Parcial do Bolão Carta na Manga

Equilíbrio impressionante. Fico devendo novamente as estatísticas, devido à bagunça que se causou na tabela devido ao Pan.

1- Igor Natusch, 762 pontos

2- Bruno Cassiano, 753

3- Gustavo Faraon, 741

4- Giuliander Carpes, 732

5- Leonardo Klück, 726

6- Vicente Fonseca, 714

7- Frederick Posselt, 597

8- Marcelo Allgayer, 549

9- Leonardo Ponso, 528

10- Juliano Amengual, 474

11- Felipe Levin, 366

Do líder ao sexto colocado a diferença é de apenas 48 pontos. São os 6 que, em tese, estão na briga para comer churrasco de graça. Mesmo assim, há mais de 20 rodadas a serem contabilizadas, e a ascensão de nomes como Cassiano e Posselt é notória.

Já aproveito para perguntar aos amigos quantos pontos estariam fazendo na seção De Bico deste primeiro turno. Por enquanto, eu estaria levando 75 pontinhos a mais.



 Escrito por Vicente Fonseca às 17:15 [] [envie esta mensagem] []






Chão batido e buraco na grama

Terminou ontem a primeira fase da Série C do Brasileiro. Das 64 equipes que entraram em campo pelos 16 quadrangulares iniciais, 32 estão habilitadas a seguirem na competição.

O melhor time da primeira fase foi o Bahia, que fez 16 pontos em 6 partidas e se credencia como o favorito inicial a subir. Dos outros times habituès de primeira divisão, tivemos o Guarani passando suadito e o Paysandu fazendo uma campanha lamentável, com 1 ponto em 6 jogos contra Aragauaína, Imperatriz e Ananindeua, conquistando um "honroso" 62º lugar.

Classificados: Rio Branco-AC, Fast, Nacional-AM, Tuna Luso, Araguaína, Imperatriz, Barras, Sampaio Corrêa, Nacional-PB, Potiguar, ABC, Atlético-PB, Bahia, Confiança, Coruripe, Linhares, Atlético-GO, Crac, Vila Nova, Itumbiara, América-RJ, Guarani, Rio Claro, Volta Redonda, Bragantino, Águia Negra, Villa Nova-MG, Democrata/GV, Roma, Ulbra, Joinville e Esportivo.

Nacionais

Ontem começou o Campeonato Argentino. Dos favoritos, só o Estudiantes venceu: 3 a 0 no Banfield, fora. O San Lorenzo levou 1 a 0 do Newell's Old Boys e o Boca Juniors ficou no 0 a 0 com o Rosario Central. O River Plate não estreou. Destaque para os times de Avellaneda: o Racing fez 2 a 0 no Olimpo e o Independiente fez 5 a 3 no Lanús.

Sexta começa o Alemão, com Stuttgart x Schalke 04, campeão e vice do ano anterior. E sábado começa o Inglês.



 Escrito por Vicente Fonseca às 16:35 [] [envie esta mensagem] []






Agenda da semana

Terça (07/08)

21:15 - Sul-Americana - Defensor x Libertad

Quarta (08/08)

19:30 - Brasileiro - Cruzeiro x Sport

20:30 - Brasileiro - Náutico x Figueirense

21:45 - Brasileiro - Botafogo x São Paulo

Quinta (09/08)

20:30 - Brasileiro - Palmeiras x Internacional

20:30 - Brasileiro - Grêmio x América-RN

Sexta (10/08)

15:30 - Alemão - Stuttgart x Schalke 04

Sábado (11/08)

16:00 - Série B - Marília x Coritiba

18:10 - Brasileiro - São Paulo x Atlético-PR

Domingo (12/08)

12:00 - Inglês - Manchester United x Reading

16:00 - Brasileiro - Figueirense x Botafogo

16:00 - Brasileiro - Internacional x Goiás

16:00 - Brasileiro - Corinthians x Grêmio

16:10 - Argentino - River Plate x Newell's Old Boys

18:10 - Brasileiro - Paraná x Vasco



 Escrito por Vicente Fonseca às 16:10 [] [envie esta mensagem] []






Gauchada perde todas

Roni vibra e Clemer busca a bola no fundo do barbante

Os 2 golos no final salvaram Gallo de uma demissão. Duvido que resistiria a duas derrotas seguidas, de 2 a 0 e 3 a 0, para dois concorrentes diretos, ainda mais com o Internacional na 11ª posição da tabela.

O Cruzeiro, então, sobe para a 4ª posição, com 26 pontos, só 3 à frente do Inter na tabela. Mesmo com derrotas consecutivas, a Dupla Gre-Nal continua viva. O jogo de quinta, contra o Palmeiras, deverá ser de vitória obrigatória se as pretensões forem mesmo título ou Libertadores. Um empatezinho seria conformar-se com o consolo da Sul-Americana.

Santos: o Flamengo (19º, 12) sempre leva goleada na Vila. Ontem, repetiu o 0 a 3 do ano passado e segue muito mal na tabela. O primeiro que não cairia, Atlético-PR, tem 7 pontos a mais que o time carioca. Mesmo que com 4 jogos a mais, a situação já é um tanto preocupante. Joel Santana ainda pode ser punido por que teria mandado seus jogadores baterem nos santistas. O Santos é 9º, com 24, e volta ao páreo.

Rio de Janeiro: Diego Cavalieri pegou um pênalti e se tornou o herói da ótima vitória do Palmeiras (6º, 26), 1 a 0 sobre o Fluminense (14º, 22). Os recentes fracassos do time de Portaluppi o colocam próximo da zona de rebaixamento. É bom abrir o olho.

Caxias do Sul: ontem, o Juventude (18º, 15) assinou seu tratado de intenções para cair. Perdeu de 2 a 1 para o Atlético-MG (7º, 25) em pleno Jaconi, já está atrás do Náutico e começa a ficar longe das posições fora da zona fatal. Vai ter que correr muito no segundo turno.

Rio de Janeiro: no finzinho, o Vasco (3º, 27) conseguiu um 2 a 2 que, se não é o ideal, o mantém bem colocado na zona da Libertadores, com 1 jogo a menos. O Figueirense (13º, 23) dá sinais de recuperação.

Curitiba: como previmos, o duelo dos artilheiros tinha cara de 0 a 0. O Botafogo (2º, 32) perde a liderança, e só uma vitória diante do São Paulo (1º, 34) quarta pode recolocá-lo lá. O Paraná (12º, 23) já nem na zona da Sul-Americana está.

Foto: Agência Lance



 Escrito por Vicente Fonseca às 10:05 [] [envie esta mensagem] []






Quem segura agora?

Patrício exibiu as dificuldades habituais no apoio

O São Paulo bateu o Grêmio no Olímpico por 2 a 0, tarefa para poucos, assumiu a liderança do Brasileiro e chega à quinta vitória consecutiva. Vamos ver se alguém terá cacife para surrupiar a liderança do tricolor paulista agora.

Hoje, o time de Muricy Ramalho teve uma atuação segura e venceu no seu forte: a defesa sólida, melhor do campeonato, com 7 golos sofridos em 17 jogos. No início, Borges fez 1 a 0, lembrando Danilo em 2006. Mas o desenrolar foi diferente desta vez.

O Grêmio tem conseguindo pontos dentro de suas limitações ofensivas evidentes (é o pior ataque do Brasileiro): segura como pode na defesa, faz um golzito isolado e leva pontos na tabela. Hoje, saiu perdendo logo de cara e para um time muito forte. Foi um jogo cheio de dificuldades, as quais o time de Mano Menezes talvez não tivesse capacidade para superar.

Não faltou superação, porém. O time da Azenha sempre lutou muito, mas enquanto Everton for escalado como titular e sacado do time apenas após 3 pisadas na bola seguidas, aos 35 do segundo tempo, a coisa vai ficar difícil. A insistência de Mano neste fraco atacante não tem mais justificativas. Aconteceu justamente aquilo que eu temia: Patrício foi escalado na direita, deixando Bustos, de boa atuação, torto pela esquerda. O time insistiu muito pela direita, com Patrício e Everton, e era evidente que dali não sairia nada.

O São Paulo manteve-se atrás sempre, confiando em sua forte defesa, e especulava em busca da pá de cal. Hugo pouco jogou, foi bem anulado por Gavilán e sofreu com as entradas de Sandro. Jorge Wagner e Souza não foram brilhantes, apenas razoáveis. Josué foi bem no segundo tempo, quando o Grêmio atacou mais, mas foi a defesa e o goleiro Rogério Ceni que se saiu melhor.

Diego Souza era o lampejo de qualidade no time tricolor, com muita voluntariedade e qualidade nos arranques. Tcheco esteve mal, Tuta precisa de um recondiconamento, pois a sua situação física atual não é compatível com as exigências do futebol profissional. O Grêmio chutou bastante, criou, concluiu, mas não fez. Baixa qualidade nas finalizações. Em algumas, Bustos e Diego Souza levaram azar. Um empate até não seria errado.

Um segundo golo do São Paulo sim soaria fora de contexto, até exagerado. Mas foi o que ocorreu. Em erro de Itaqui e mosqueada de Pereira, Diego Tardelli fez 2 a 0. A vantagem mínima ficaria bem, mas este placar um pouco mais forte serve de alerta. Se o Grêmio ainda quiser pensar em título, os próximos 3 jogos têm de somar 9 pontos (América-RN, Corinthians e Paraná).

E o São Paulo assume a liderança com uma vitória categórica e de alto significado. E depois que ele se estabelece na ponta, é difícil de tirá-lo.


FICHA TÉCNICA

Campeonato Brasileiro 2007 - 17ª rodada

5/agosto/2007

GRÊMIO 0 x SÃO PAULO 2

Local: Olímpico Monumental, Porto Alegre (RS)

Árbitro: Lopes, H. (PR)

Público: 23.540

Golos: Borges 2 do 1º; Diego Tardelli 42 do 2º

Cartão amarelo: Sandro, Rogério Ceni, Souza, Josué, Richarlyson, Hugo e Borges

GRÊMIO: Saja (5,5), Patrício (4,5) (Itaqui, 28 do 2º - 4), William (5), Pereira (4) e Bustos (5,5); Gavilán (5,5), Sandro (4,5), Tcheco (4,5) (Douglas, 19 do 2º - 4,5) e Diego Souza (6); Everton (3,5) (Kelly, 35 do 2º - sem nota) e Tuta (4). Treinador: Menezes, M. (4)

SÃO PAULO: Rogério Ceni (7), Breno (6,5), Miranda (6) e Alex Silva (6); Souza (5,5), Josué (6), Richarlyson (5,5), Hugo (5) e Jorge Wagner (5,5); Leandro (5) (Reasco, 40 do 2º - sem nota) e Borges (6,5) (Diego Tardelli, 41 do 2º - 6,5). Treinador: Ramalho, M. (6,5)

Foto: Daniel Boucinha/Futura Press



 Escrito por Vicente Fonseca às 00:27 [] [envie esta mensagem] []






Enfim, uma grande rodada

O São Paulo (2º, 31) volta ao local do crime que o vitimou fatalmente no dia 9 de maio, quando o Grêmio (5º, 25) o impôs um 2 a 0 que acabou com suas pretensões de ser tetracampeão da Copa Libertadores. Dos 22 jogadores que começaram aquela partida, 14 (7 do Grêmio e 7 do São Paulo) iniciarão hoje, o que dá um tom de rivalidade ainda forte ao duelo.

O jogaço de hoje é o primeiro da mini-excursão são-paulina contra adversários diretos na luta pelo título. Quarta-feira, é a vez de pegar o Botafogo, no Rio (já pensaram como será no returno, nas últimas rodadas?). Dois empates seriam bons resultados considerados isoladamente, pois segurariam seus adversários diretos. Mas lembremos que o Botafogo visita o Paraná hoje, e o Grêmio recebe o América quinta.

Portanto, uma vitória e um empate seriam sensacionais ao São Paulo, especialmente se a vitória vier diante do Botafogo, já que o Grêmio ficou um pouco para trás, sendo hoje um adversário em potencial, mas não direto.

Os gaúchos estrearão Bustos, entrarão com um time bastante forte e parecido com o que jogou a Libertadores. Os paulistas não terão Dagoberto, devem vir num 4-4-2, com Jorge Wagner na meia e não mais na lateral. Claro que tudo isso pode mudar, já que Mano e Muricy têm seus segredos e opções.

Belo Horizonte

Se Pato saiu, Magrão e Guiñazu, enfim, jogam. Serão dois reforços importantíssimos para um Internacional (7º, 23) que precisa vencer o Cruzeiro (6º, 23) no Mineirão, se quiser chegar à metade do campeonato querendo o título. Perder outra para adversário direto, depois do Vasco quarta passada, seria trágico.

Gallo entrará com Wellington Monteiro, Magal e mais os dois reforços no meio-campo. É um time bastante precavido, que ainda aguarda Fernandão. Mesmo que ainda falte o capitão (acho até que ele deveria ser reserva de Iarley), e Alex esteja de fora hoje, a escalação para o Mineirão parece mais uma de Gallo tentando escalar o Inter de acordo com o adversário. Isso, sabemos, não leva a lugar algum.

O Cruzeiro, aliás, é um bom time. Podia estar melhor na classificação, mas tem jogadores muito interessantes, especialmente o quarteto Wagner, Leandro Domingues, Marcinho e Roni, além do centroavante reserva, Alecsandro, matador de carteirinha.

Fluminense (13º, 22) x Palmeiras (9º, 23): duelo equilibrado, mas aposto no Fluminense, que está numa posição abaixo do que seu time e seu desempenho recomendam.

Santos (14º, 21) x Flamengo (19º, 12): duas equipes que se esfacelaram após a Libertadores. Enquanto Luxemburgo não consegue repetir o bom desempenho que lhe é habitual, o Flamengo estréia o Tio Janjão Prancheta.

Juventude (18º, 15) x Atlético-MG (10º, 22): essa o Juventude tem de ganhar na marra. Já foi ultrapassado pelo Náutico, e o Atlético-MG não inspira confiança. Jogo que promete drama e, quem sabe, 3 mil pagantes no Jaconi.

Vasco (3º, 26) x Figueirense (12º, 22): a expectativa é de que o Vasco mostre ao Grêmio como se faz: baterá o Figueirense e se manterá próximo dos líderes, com um jogo a menos.

Paraná (11º, 22) x Botafogo (1º, 31): numa rodada com Cruzeiro x Inter e Grêmio x São Paulo, um bom jogo como este até passa meio que despercebido. Josiel x André Lima é o duelo da vez, mas sinto cheiro de 0 a 0 aqui.

Palpitações

Fluminense 1 x Palmeiras 0

Cruzeiro 2 x Internacional 1

Santos 2 x Flamengo 0

Juventude 1 x Atlético-MG 0

Vasco 3 x Figueirense 1

Paraná 0 x Botafogo 0

Grêmio 0 x São Paulo 0

32 mil no Olímpico (com chuva, 26 mil)



 Escrito por Vicente Fonseca às 10:21 [] [envie esta mensagem] []






Goleadas na segundona

Muitas goleadas marcaram o sábado da Série B. A mais impressionante delas foi o 6 a 0 que a Ponte Preta (7º, 24) enfiou no Santa Cruz (19º, 15), que talvez viva o pior momento de sua história. Destaque também para o líder Criciúma, que fez 3 a 0 no CRB (11º, 21) e chegou aos 36, 7 a mais que os vice-líderes Marília e Coritiba. O time do interior paulista, alíás, é o time que, ao lado do Tigre catarinense, está apresentando melhores condições para subir. É segundo colocado, mesmo que tenha perdido 6 pontos no tapetão.

O Criciúma anunciou, aliás, a surpreendente contratação de Edmílson, volante do Grêmio.

Série A

O Corinthians venceu, afinal. Fez 1 a 0 no Goiás (4º, 26), resultado ótimo para Grêmio e Inter, mas péssimo para o Juventude. O alvinegro chegou aos 20 pontos, venceu após 10 jogos e chegou à sua quarta vitória. Os mais otimistas já podem dizer que o Corinthians é o terceiro time que menos no Brasileirão (4 vezes); só Botafogo (2) e São Paulo (3) perderam menos jogos.

O Sport já é 6º. Chegou aos 24 em sua espetacular virada de 3 a 2 para cima do frouxo Atlético-PR (16º, 19), que começa a dar sinais de que pode cair. O Grêmio não podia, de forma alguma, ter perdido os dois pontos que perdeu sábado passado.

No duelo dos menos cotados, o Náutico (17º, 17) fez um 5 a 1 para cima do América (20º, 10 pontos, 13 derrotas), em Natal, uma goleada bem engana-trouxa.



 Escrito por Vicente Fonseca às 00:14 [] [envie esta mensagem] []






Um sabadaço para sair da crise

Corinthians (16º, 17) x Goiás (4º, 26) fazem o jogo mais interessante do sábado que abre a 17ª rodada do Campeonato Brasileiro (estamos quase na metade!). O time paulista está há incríveis 10 jogos sem vitória, a maior seqüência negativa da Série A em 2007. Enfrentará um bom adversário, dotado de jogadores medianos e bons, e bem montado por Paulo Bonamigo.

Tudo leva a crer que hoje o Corinthians: 1) sai da crise; ou 2) perde, Carpegiani cai e haverá uma terra-arrasada em pleno mês de agosto. O problema é que as complicações pós-parceria (que sempre se soube que terminaria assim) dão uma brecada nas contratações, o que significa que a base até o fim do ano pode ser pouco alterada.

É um jogo terrivelmente complicado. O Goiás, se souber aproveitar a situação, encosta nos líderes.

Natal

É o jogo com cara de segundona. América-RN (20º, 10) x Náutico (18º, 14) fazem o jogo dos dois times que já davam cara de rebaixado antes mesmo de o Brasileiro começar. Vi alguns minutos de cada um no campeonato, e o Náutico me pareceu menos pior. Se vencer, pode deixar a zona de rebaixamento nesta rodada, situação que, adianto, será momentânea. Se o Náutico não cair, ninguém mais cai. Talvez o América-RN.

Recife

O Sport (14º, 21) receberá o Atlético-PR (15º, 19) e é o favorito para ganhar mais uma em casa. Depois das derrotas para São Paulo e Internacional, venceu bem o Palmeiras fora. Da Silva e Carlinhos Bala formam uma boa dupla de ataque. O time de Curitiba, ainda abalado pela truculência que é jogar uma partida de futebol, vem mal. Vai brigar para não cair, com sorte pega uma Sul-Americana de consolo.

Grêmio x São Paulo

Bustos estará liberado para a estréia. Marcel, não. O São Paulo adiou a entrega dos documentos e não quis que um ex-atleta seu reforçasse um adversário direto. Decisão normal, pode até soar tacanha por ser o São Paulo, que não é um dos clubes mais éticos em relacionamento com os outros, mas ainda assim uma decisão perfeitamente compreensível e indigna de reprovação. O tricolor paulista não terá Dagoberto.

Sobre Pelaipe, ele apenas disse que o São Paulo enfrentaria dificuldades aqui. Jamais incitou violência ou qualquer coisa do tipo. Parece que o medo são-paulino em relação a Porto Alegre permanece.

Palpitações

Corinthians 0 x Goiás 2

América-RN 1 x Náutico 2

Sport 4 x Atlético-PR 3



 Escrito por Vicente Fonseca às 11:14 [] [envie esta mensagem] []






O fim dos potinhos de mijo

Alguém sabe para que servirá um exame antidoping no Brasil após Dodô?

Ele é flagrado com substâncias proibidas, faz a contraprova que dá positivo também, mas em seguida é absolvido.

Para ser punido, só sendo mesmo o Alex Alves, do Juventude. Ou o Dinei, que jogava no Coritiba. O artilheiro da menina-dos-olhos da grande imprensa sudestina, que joga um "futebol vistoso" e é o "artilheiro dos golos bonitos" pode ter a punição cancelada pela "justiça".

A jurisprudência está criada. Liberou geral. Ou então, crie um movimento para que a sua cidade seja a nova sede da CBF.



 Escrito por Vicente Fonseca às 18:55 [] [envie esta mensagem] []






Barbeiragens e cartolagens

O Botafogo será o locatário do Engenhão. Pagará R$ 36 mil por mês para ter este direito.

É de se elogiar um dirigente como o presidente Bebeto de Freitas, que pegou o clube na Série B e está agora na ponta da tabela do Brasileiro. Administração com os pés no chão, sem gastos extravagantes. Mas dirigentes como Carlos Augusto Montenegro, que deveria ser persona non grata dentro do clube, é que podem levar o Botafogo ao buraco novamente.

Para dar uma dimensão melhor de quem se trata, Montenegro é presidente do Ibope, e dirigiu o clube no final dos anos 90. Sua gestão como presidente foi "coroada" com a queda para a Série B em 2002. Este ano, de volta ao futebol do clube, fez frases preconceituosas e machistas contra Ana Paula Oliveira, praticamente encerrando a carreira da assistente por causa de um erro absolvível e um acerto que, de tanto que chorou o Botafogo, virou erro absurdo.

Agora, veio cantar de galo para Eurico Miranda, comparando o São Januário a um Fusca 68 e o Engenhão a uma Mercedes Benz. Ora, o Botafogo nem estádio tem. Jogava em Caio Martins, o Passo d'Areia carioca. Andar em carro alugado se fazendo de novo rico é brabo de agüentar; melhor ter um fusquinha feito São Januário, que, bem ou mal, é o único estádio próprio em uso no Rio de Janeiro.

Ainda bem que aqui no Rio Grande do Sul estas guerrinhas verbais de dirigentes deram um tempo.



 Escrito por Vicente Fonseca às 17:11 [] [envie esta mensagem] []






Campeões do balancete

O Milan pagou a multa rescisória e Pato deixará o Internacional hoje mesmo. Não joga mais com a camisa rubra. Foram 20 milhões de euros, quem depositasse levava na hora, é a regra, infelizmente.

Seria realmente difícil manter o jovem de quase 18 anos. Em 2006, foi um verdadeiro parto renovar o contrato de Pato e estipular a multa rescisória. Se fosse muito alta, ninguém levaria o jogador; se fosse muito baixa, prejudicaria os cofres colorados. Estipulou-se um valor que o Milan considerou justo e, antecipando-se a Real Madrid, Internazionale e Chelsea, comprou seu passe.

Se o Internacional investir a metade ou até menos do dinheiro recebido em futebol, monta um time ainda mais forte, mesmo que sem Pato. Foi o que o Grêmio fez com Anderson, e o que o Santos não soube fazer com Robinho.

E a política de vender um jogador por ano vai por água abaixo. Ano passado, após a conquista da Libertadores, 3 jogadores saíram em troca de compensação financeira. Este ano, já foram dois: além de Pato, Luiz Adriano. No Grêmio, que adotou a mesma política (que considero correta), Lucas já saiu. Carlos Eduardo seria o próximo, mas a multa é ainda mais alta que a de Pato (25 milhões de euros).

Que o Grêmio não entre no Gre-Nal do balancete e segure Carlos Eduardo por mais um tempo. Se for para vender, que faça como o Inter, pela multa rescisória. Ou pelo menos segurem o ponta até o ano que vem. Este ano, várias receitas já entraram: quotas da Libertadores e do Brasileiro, quadro social ativo, venda de Lucas. Ou ninguém mais acreditará que vender promessas é uma política de uma vez por ano, mas sim que nossos clubes se tornaram, infelizmente, bancos.

Em tempo:

- Pato é mesmo um fenômeno. Aos 17 anos e 11 meses, é pivô do maior negócio da história do futebol gaúcho. E leva o Carta na Manga à Itália: depois de Milão, é a capital Roma quem tem acessado o blog.

 Escrito por Vicente Fonseca às 10:07 [] [envie esta mensagem] []






Touca para chuva

Diego Souza melhorou no segundo tempo, mas não o suficiente para levar o Grêmio à vitória

Em 2005, o Grêmio havia feito um jogo sob tempestade em Florianópolis, contra o Avaí. Naquela ocasião, venceu por 3 a 1. Hoje, voltando a Floripa, sob as mesmas condições climáticas, o tricolor enfrentou um tradicional algoz menor, do melhor naipe de Goiás e Paraná. E perdeu no detalhe, 1 a 0 para o Figueirense de Mário Sérgio.

Um jogo absolutamente atípico, pelo clima e pelo seu desenrolar. A chuva não chegava a formar poças que prejudicassem o toque de bola, mas Diego Souza, Tcheco, Carlos Eduardo e Peter, jogadores de mais qualidade, sucumbiram no começo. Aos poucos, foram entrando no ritmo dos zagueiros e volantes.

Em jogo assim, a bola parada é ainda mais decisiva. O Figueirense se aproveitou melhor, chutando mais de longa distância e fazendo linha de impedimento sempre, frustrando jogadas aéreas do Grêmio, muitas com a conivência dos bandeiras, que deu vários impedimentos dos atacantes gaúchos de forma equivocada.

Ruy foi expulso por agredir Anderson Pico. O gremista ainda levou amarelo, por retardar uma cobrança de falta, motivo do soco do catarinense. Menos de 5 minutos depois, o árbitro Cléber Abade, na sua ânsia compensatória desenfreada, expulsou Pico, que chutou para longe uma bola milésimos de segundo após uma falta. O Campeonato Brasileiro padece de arbitragens qualificadas. Abade representou hoje justamente o pior dessa escola: inverteu faltas, assinalou infrações inexistentes em quase todas as jogadas de ataque, tentando levar o jogo para um 0 a 0 amigo.

Não conseguiu. O segundo tempo foi de grande equilíbrio, e os times tiveram poucas chances de golo. Diego Souza deu drible sensacional no zagueiro, mas chutou em vez de cruzar. Quando o Grêmio era melhor, Peter, destaque do jogo de hoje, recebeu livre e chutou mal, na saída de Saja, mas o suficiente para vencer o goleiro argentino. Vitória do Figueirense em jogo equilibrado, onde a arbitragem foi mal, mas isso não justifica a derrota do Grêmio, já que houve erros (ainda que menos e menores) contra os donos da casa também.

O Figueirense livra-se do perigo por um tempo. O Grêmio já vê Botafogo e São Paulo 6 pontos à frente, e sai da zona da Libertadores. Precisa ganhar domingo do tricolor paulista para voltar ao caminho da América e seguir pensando em título. Aos catarinenses, sem dúvida esta foi a noite mais feliz do ano, já que conseguiram a única alegria que lhes é possível em futebol: chamar os gaúchos de viados.

Em tempo:

- Bons zagueiros do Figueirense, especialmente Edson e Felipe Santana.


FICHA TÉCNICA

Campeonato Brasileiro 2007 - 16ª rodada

2/agosto/2007

FIGUEIRENSE 1 x GRÊMIO 0

Local: Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)

Árbitro: Abade, C. (SP)

Público: 6.906

Golo: Peter 41 do 2º

Cartão amarelo: André Santos, Alexandre e Anderson Pico

Expulsão: Ruy 33 e Anderson Pico 37 do 1º

FIGUEIRENSE: Wilson (6,5), Edson (6,5), Felipe Santana (6,5) e Chicão (5,5); Ruy (5), Diogo (5), Cleiton Xavier (4,5), Peter (6,5) e André Santos (5,5); Ramon (5) (Anderson Luís, 34 do 1º - 5,5) (Alexandre, 18 do 2º - 5) e Jean Carlos (4,5). Treinador: Mário Sérgio (6)

GRÊMIO: Saja (6), Patrício (5), William (5,5), Pereira (5,5) e Anderson Pico (5); Edmílson (5,5), Sandro (5), Tcheco (5) (Ramon, 31 do 2º - 5), Diego Souza (5,5) e Carlos Eduardo (6) (Kelly, 37 do 2º - sem nota); Douglas (5) (Itaqui, intervalo - 5,5). Treinador: Menezes, M. (5)

Foto: Antônio C. Mafalda/Mafalda Press/Futura Press



 Escrito por Vicente Fonseca às 22:44 [] [envie esta mensagem] []






Diego Souza de volta ao habitat

A volta de Sandro Goiano ao meio-campo, ao lado de Edmílson, é uma garantia defensiva e ofensiva ao Grêmio hoje. Desfalcado de Gavilán, suspenso, Mano Menezes chega à conclusão de que é melhor escalar um volante de qualidade mediana/precária (Edmílson ou Nunes), do que perder Diego Souza como armador e recuando-o à função de segundo volante, escalando Ramon na ligação.

O crescimento do Grêmio em 2007 deu-se justamente no momento em que Diego Souza foi adiantado. Então, mesmo Edmílson e Nunes não sejam sumidades, é melhor escalar um deles à frente da defesa e ter um segundo volante (hoje, Sandro Goiano) para liberar Diego para atuar na mesma linha que Carlos Eduardo, só que pela direita.

A dúvida que resta é se Marcel joga ou não, depende da CBF. Se não der, por favor, que não se insista com Everton. Ou então, libere-se Douglas para ser emprestado ou vendido, porque ele perderá qualquer função dentro do elenco.

As dificuldades do Figueirense são conhecidas. É um time mais fraco que em 2006, mas ainda assim vice-campeão da Copa do Brasil, sempre forte no Scarpelli, com Mário Sérgio na casamata. Torcida, o Grêmio terá. Se jogar o futebol pragmático que vem jogando, não perde, até pode vencer.

São Paulo

Seria extraordinário a todos da ponta de cima (inclusive Grêmio e Internacional) que o Juventude segurasse o São Paulo no Morumbi. Mas é difícil. Estréia de Cláudio Duarte, que costuma pregar peças. Em 1999, pelo Gama, ganhou 3 partidas em 3 como treinador. Uma delas, 2 a 1 sobre o São Paulo na capital paulista. Até dá para repetir, mas não sou eu que apostarei nessa façanha.

Palpitações

Figueirense 1 x Grêmio 1

São Paulo 2 x Juventude 0



 Escrito por Vicente Fonseca às 13:13 [] [envie esta mensagem] []






A casa é sua, pode entrar

Em sua primeira derrota no Atlético-MG (9º, 22) Leão já culpa a arbitragem. Pelo jeito seguirá sua forma arrogante de treinar. Os 3 pontos que escaparam no 2 a 1 para o Santos (12º, 21), em pleno Mineirão, são imperdoáveis.

Ontem, aliás, foi o dia dos visitantes. O Sport (13º, 21) conseguiu derrotar o Palmeiras (8º, 23) com dois a menos e fora de casa, por 2 a 1. A irregularidade do time de Caio Júnior é a grande inimiga para que o time não consiga alcançar os resultados. Ontem, vencia por 1 a 0, mas entregou a vantagem ainda no primeiro tempo. O segundo golo foi falha coletiva da defesa aproveitada pelo ex-Juventude Da Silva, em cobrança de pênalti.

Apenas dois visitantes se deram bem.

O Goiás (4º, 26) aplicou 2 a 0 no Paraná (10º, 22). Enquanto os goianos voltam à zona da Libertadores, os paranaenses perdem a terceira seguida e despencam na tabela.

E o Botafogo (1º, 31) fez o dever de Cariacica e bateu o América-RN (20º, 10) por 4 a 2, depois de passar por alguns percalços. O time carioca se mantém na ponta e André Lima chega aos 11 golos, 1 atrás do artilheiro Josiel.

Foram dois empates. Nos Aflitos, em jogo ruim, Náutico (18º, 14) e Fluminense (11º, 22) não marcaram golos. E em Curitiba o Corinthians (16º, 17) ia qeubrando a seqüência de 9 jogos sem vencer até o finzinho, quando o Atlético-PR (15º, 19) empardou.

Em tempo:

- Botafogo contrata Athirson para a lateral-esquerda. Vejamos quanto tempo ele jogará e quanto tempo ficará no Departamento Médico do clube.



 Escrito por Vicente Fonseca às 12:12 [] [envie esta mensagem] []






Uivos na Padre Cacique

O "Príncipe" Leandro marca o segundo golo e sepulta o Internacional

Sons finos, agudos e contínuos, foram ouvidos há pouco nas imediações do bairro Praia de Belas, chegando até o Morro Santa Tereza. Primeiro, o vento que sempre ocorre nesta época do ano à beira do Guaíba; depois, as vaias pela atuação do Internacional, que foram seqüência de gritos que davam adeus ao treinador colorado Gallo.

A atuação do Internacional hoje foi realmente desanimadora. Uma torcida que vai em número de 25 mil num jogo às 21:45 merece registro. Apoiou o time sempre, mas não foi correspondida. Bateu de frente com um Vasco organizado, com bons jogadores do meio para a frente, e uma defesa cuidadosa e que grudou o tempo inteiro em Pato.

A atuação do jovem centroavante rubro ficou abaixo da expectativa. Foi bem marcado, tentou sempre, note-se isso. Mas uma chance perdida na pequena área, sozinho, a 1 minuto do primeiro tempo, teria mudado o curso do jogo, se concluída com êxito. O Inter começou melhor, encontrava facilidades para chegar, especialmente pela direita, com Roger. O Vasco, porém, quando chegava, era perigoso. Desorganização defensiva foi uma das marcas coloradas desta noite.

Gallo armou o time num esquema híbrido entre o 3-5-2 e o 4-4-2. Índio e Hidalgo eram zagueiros, Diego era lateral, Magal era meio que um ala, Alex era lateral e ala, enfim, uma confusão. É aquela história de armar o time conforme o adversário, coisa que só se justifica quando se tem muitos desfalques ou quando seu time é do porte do Guarany de Bagé e o adversário é da Dupla Gre-Nal. Num Campeonato Brasileiro, em casa, contra um adversário direto, não é a melhor saída. E é o que pode minar a campanha do Inter e o que o tem impedido de encostar nos líderes quando a chance para isso aparece.

No meio desta confusão defensiva, Alan Kardec fez 1 a 0 de cabeça, na pequena área. O 2 a 0 foi bem semelhante, com Kardec cabecando entre os zagueiros e Leandro Amaral pegando o rebote, igualmente solito. Daí, o Vasco fechou-se no segundo tempo e tentou algum contra-ataque para ampliar.

Registre-se no time cruz-maltino que Perdigão dita o ritmo do time, com um toque qualificado no meio e até alguma marcação. Conca, homem da ligação, poderia ter jogado melhor e servir mais vezes Leandro e Kardec. Se isso tivesse acontecido, talvez uma goleada seria o resultado hoje.

Gallo encheu o time de atacantes, tentando a solução mágica. O resultado foi um time de muitos concluidores e nenhum armador, até porque Pinga saiu machucado. Pressão estéril, com Christian entrando mal, Iarley inoperante e Pato marcadíssimo.

Agora, o próximo jogo é contra o Cruzeiro. Adversário igualmente complicado, no Mineirão. Mais uma partida difícil, onde os 3 pontos que escaparam hoje têm de ser recuperados - ainda mais porque é outro adversário direto. Pelo teste forte de hoje, que invoquei hoje pela manhã, o Inter não passou.

Temperatura ortopédica

Serei pé-quente ou pé-frio? Aqui no Rio Grande, tudo depende do ponto de vista.

Aos colorados, sugiro que me proíbam de assistir aos jogos rubros neste Brasileiro. Não vi nenhuma vitória do Inter até agora no campeonato, quase só derrotas: 2 a 1 para o Atlético-PR, 3 a 0 para o Fluminense, 2 a 0 para o Grêmio, 1 a 1 com o Atlético-MG, 2 a 0 para o Juventude e 2 a 0 para o Vasco. Das vitórias, não vi nenhuma.

Aos gremistas, sugiro que tentem encaminhar a mim o título de sócio colorado, pois o rebaixamento rubro será certo se eu assistir aos jogos de perto no Beira-Rio.

Análise da rodada pela manhã desta quinta.

Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM/Divulgação



 Escrito por Vicente Fonseca às 00:32 [] [envie esta mensagem] []






Ficha técnica

Camepoanto Brasileiro 2007 - 16ª rodada

1º/agosto/2007

INTERNACIONAL 0 x VASCO 2

Local: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)

Árbitro: Spínola, S. (SP)

Público: 24.626

Golos: Alan Kardec 30 e Leandro Amaral 36 do 1º

Cartão amarelo: Clemer, Diego, Edinho, Alex, Jorge Luiz e Roberto Lopes

INTERNACIONAL: Clemer (5,5), Diego (4,5) (Wellington Monteiro, intervalo - 4,5), Índio (5), Hidalgo (4,5) e Alex (4,5); Edinho (5), Magal (5,5), Roger (5) (Christian, intervalo - 4,5) e Pinga (5) (Luciano Henrique, intervalo - 4,5); Iarley (5) e Pato (5). Treinador: Gallo, A. (4,5)

VASCO: Silvio Luiz (5,5), Jorge Luiz (5,5), Júlio Santos (6) e Vílson (5,5); Wagner Diniz (5,5) (Thiago Maciel, 39 do 2º - sem nota), Roberto Lopes (5,5), Perdigão (6,5), Conca (5,5) (Marcelinho, 43 do 2º - sem nota) e Rubens Júnior (6); Alan Kardec (7,5) (Júnior, 33 do 2º - 5) e Leandro Amaral (6,5). Treinador: Roth, C. (7)



 Escrito por Vicente Fonseca às 00:05 [] [envie esta mensagem] []






Mais seis jogos na noite

Esta é a última rodada sem os reforços agostinos.

Goiânia: o Goiás (7º, 23) vive uma fase de instabilidade. Precisa vencer o Paraná (10º, 22), adversário direto. Talvez seja uma das últimas partidas de Josiel, artilheiro do Brasileiro, pelos curitibanos.

Recife: com duas vitórias nos últimos três jogos, o Náutico (18º, 13) vive a expectativa de deixar a zona de rebaixamento nesta rodada. O péssimo desempenho em casa pode complicar. O adversário é o Fluminense (11º, 21), que vinha bem e deu uma caída. Mas, com uma vitória, já pode retornar às suas pretensões mais nobres.

São Paulo: jogo para o Palmeiras (8º, 23) aproveitar a crise do Sport (14º, 18) e se aproximar dos líderes de novo.

Rio de Janeiro: o melhor lugar do mundo para uma zebra. O Botafogo (1º, 28), líder, recebe o América-RN (20º, 10), lanterna. Se o time carioca não vencer, será a maior surpresa do campeonato até agora.

Curitiba: jogo de duas equipes em crise. Entre Atlético-PR (15º, 18) x Corinthians (16º, 16), qualquer coisa pode acontecer. Inclusive uma vitória alvinegra, 11 jogos depois.

Belo Horizonte: para o Atlético-MG (9º, 22), vencer seria a continuidade de uma boa campanha de recuperação. O problema é que o Santos (13º, 18) também precisa dos 3 pontos. Jogo que promete aguerrimento e muita disputa.

 

Palpitações

Goiás 1 x Paraná 2

Náutico 0 x Fluminense 2

Palmeiras 3 x Sport 2

Botafogo 4 x América-RN 1

Atlético-PR 1 x Corinthians 1

Atlético-MG 3 x Santos 1

Internacional 2 x Vasco 1



 Escrito por Vicente Fonseca às 10:11 [] [envie esta mensagem] []






Momento de teste

Um teste complicado, é o que o Internacional terá pela frente hoje no Beira-Rio. O adversário está, neste momento, aonde todo torcedor colorado gostaria: na zona da Libertadores. É o Vasco desmontado pelo Esquema Golo Mil, mas remontado a tempo por Celso Roth, o gaúcho que substituiu outro, Portaluppi, que sucumbiu às predileções do Baixinho e de Eurico.

A recuperação colorada nos últimos jogos é substanciosa, pois ninguém vence 5 partidas em 6 jogadas por acaso. Dão quase a certeza de que o time deve mesmo entrar na zona libertável. Com Magrão, Guiñazu e a volta de Fernandão, o título será palpável. E só mesmo Alexandre Gallo e sua estratégia de escalar o Inter de acordo com o adversário pode agourar este ambicioso projeto.

O Vasco de Roth não aquele time do 1 a 0, 0 a 0 e 1 a 1. Na última rodada, fez 4 a 1 no outrora vice-líder Goiás. Tem um dos melhores ataques, uma defesa razoável e é o 4º colocado. Um adversário de respeito, o melhor que o Internacional enfrentará desde o Gre-Nal. É bom lembrar que esta recuperação extraordinária do Inter passa também por adversários medianos ou fracos (Figueirense, América-RN, Corinthians, Juventude, Paraná - o melhor até agora - e Sport).

Hoje, sem Pato, teremos um teste mais forte que os anteriores. E três necessidades: a de continuar esta afirmação contínua, a de ingressar na zona da Libertadores, e a de ultrapassar, nem que seja por 24 horas, o maior rival na tabela de classificação.



 Escrito por Vicente Fonseca às 09:56 [] [envie esta mensagem] []






Alguém sabia...

...que a Copa Sul-Americana começava hoje?

Pois é, começou. Num jogo sem grandes atrativos, o Audax Italiano bateu o Jorge Wilstermann por 2 a 0. O jogo fez parte da fase preliminar, no grupo de Chile e Bolívia.

O regulamento, como de costume, é bem confuso. Na fase preliminar, os times estão divididos em grupos por países. Daí, sairão 16 equipes para jogarem em mata-mata.

O Brasil ainda não tem nenhum título do torneio. Oito equipes tentarão a taça inédita.

Abaixo, a lista de participantes:

Argentina: Arsenal de Sarandí, Boca Juniors*, Estudiantes, Lanús, River Plate* e San Lorenzo.

Bolívia: Jorge Wilstermann e Real Potosí.

Brasil: Atlético-PR, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Figueirense, Goiás, São Paulo e Vasco.

Chile: Audax Italiano e Colo Colo.

Colômbia: Nacional e Millonarios.

Equador: Nacional e Olmedo.

Estados Unidos: DC United.

México: América, Chivas e Pachuca*.

Paraguai: Libertad e Tacuary.

Peru: Coronel Bolognesi e Universitario.

Uruguai: Danubio e Defensor.

Venezuela: Carabobo e Zamora.

* Clube convidado.

Nota do colunista: uma competição sul-americana sem Nacional e Peñarol fica bem descaracterizada.



 Escrito por Vicente Fonseca às 23:39 [] [envie esta mensagem] []






Dá sim

Falei aqui, acho que em outubro do ano passado (procures e acharás), que eu preferia esperar a realização dos Jogos Panamericanos no Rio de Janeiro em 2007 para ter uma opinião mais sólida quanto às possibilidades brasileiras de realização de uma Copa do Mundo em 2014. Agora, que o Pan acabou e a CBF acaba de lançar a candidatura brasileira de forma oficial, é o momento ideal para retornar o assunto.

Copa do Mundo e Pan/Olimpíada são eventos esportivos semelhantes, mas com diferenças. Todos são de grande porte, mas a Olimpíada e o Pan recebem muito mais atletas, uma Vila Olímpica precisa ser construída. Em compensação, uma Copa exige reparos em diversas cidades, e não em apenas uma.

O fato de a África do Sul ser a sede da Copa de 2010 me levava a crer previamente que o Brasil reunia condições, apesar de todos os seus problemas terceiro-mundistas. Minha impressão ficou absolutamente confirmada: a organização do Pan foi realmente de alto nível, sem os "micos" de Santo Domingo/2003, com estrutura moderna, boa organização, segurança e ótimo público na maioria das modalidades.

Claro que questões como o grave problema de transporte aéreo precisam ser resolvidas, ainda porque as seleções se deslocariam dentro do país no desenrolar do torneio. Mas a segurança pública, problema tido como um dos graves para a realização do Pan no Rio, foi bem feita nesse período.

O Brasil, portanto, reúne condições para organizar a Copa. Se o dinheiro destinado ao Pan foi absurdo, isso é outra questão. Seria evidentemente melhor que não houvesse maracutaias e coisas desse tipo, mas não é esse o mérito de minha análise. Bem ou mal, ficou provado que o Brasil pode abrigar um evento esportivo de grande porte, sem dar fiascos. O Pan, inclusive, pode pesar na decisão final da FIFA de realizar a Copa aqui.

Em tempo:

- Flamengo anuncia Fábio Luciano. Ótimo zagueiro.

- Cláudio Duarte é o novo treinador do Juventude. Já assumiu ontem, mas quase deixei passar em branco. Nenhuma novidade: é o maior treinador-tampão do Brasil subtropical. Acima dos 23'27" de latitude é Joel Santana.



 Escrito por Vicente Fonseca às 17:07 [] [envie esta mensagem] []






Quem vem por aí

Com os reforços que estão por chegar, aliados ao bom momento que vivem no Campeonato Brasileiro, Grêmio e Internacional devem adentrar agosto com crescentes possibilidades de brigar pelo título. O importante era chegar a este ponto do campeonato com um aproveitamento de pelo menos 50% para que as chances se tornassem reais. Ambos conseguiram, e ainda vivem um bom momento na competição: o Grêmio fez 19 pontos em 27 disputados desde que voltou da Libertadores, 70% de aproveitamento, invicto; o Inter conseguiu 5 vitórias nos últimos 6 jogos, numa arrancada que lembra a do rival em 2006.

A incorporação de Bustos, Eduardo Costa e Marcel dão sustentação ao elenco gremista. Ainda seria importante a contratação de um lateral-esquerdo e de um zagueiro, ou, no mínimo, preencher uma dessas posições. Para o banco de reservas, o Grêmio já teria Patrício, Pereira, Sandro ou Eduardo Costa, Kelly, Ramon e Tuta. Boas opções, sem dúvida.

Se quiser alcançar um aproveitamento de 2/3 dos pontos, suficiente em tese para sair campeão, o tricolor teria que marcar mais 51 pontos em 23 jogos, o que seria 74% de aproveitamento daqui em diante. Difícil, mas não impossível. Já fez 70% com este elenco limitado desde que perdeu o título continental; em 2006, tinha 44% na 15ª rodada e fez 68% dali em diante. Mesmo assim, dado o equilíbrio, talvez o campeão faça entre 62% e 65% ao final.

O Internacional, por sua vez, finalmente pode começar a pensar em título sem soar ufanista. Vem em franca ascensão e já alcançou 51% de aproveitamento. Ganhará Guiñazu e Magrão, e talvez Fernandão; deverá manter Pato. Terá no banco opções do naipe de Rubens Cardoso, Wellington Monteiro, Alex, Pinga, Iarley e Christian.

Para fazer 76 pontos, o Inter precisa de 53 pontos, aproveitamento de 77%. Ainda mais difícil, mas também não impossível. No ano passado, tinha à esta altura 59% de aproveitamento. Fez, nos últimos 23 jogos, 43 pontos, aproveitamento de 62%. Teria de melhorar bastante o aproveitamento do time campeão mundial, mas terá elenco para sustentar-se, coisa que talvez só São Paulo e Grêmio terão, com Botafogo, Cruzeiro e Fluminense um passo atrás.

Para a Libertadores, cerca de 53% serão suficientes, mantidos os 60 pontos do Paraná em 2006. O Grêmio precisa de 35 (51%) e está muito bem encaminhado; o Internacional precisa de 37 (54%), e também é candidatíssimo.

Outros times também vão se reforçar, é claro. Mas as perspectivas gaúchas são boas para o returno. Inclusive as do Juventude, que trouxe Fábio Baiano, Marabá, Marcão e alguns outros reforços bem razoáveis, e pode se safar do rebaixamento.

Em tempo:

- Rafinha no Ipatinga? Tem lugar para 12º titular do Grêmio.

- Os atletas que deixaram o tricolor após a boa caminhada de 2006 não parecem estar dando muita sorte. Wellington está encostado no Corinthians; Jeovânio está no minúsculo francês Valenciennes; Léo Lima tem 25 anos e nunca jogou com regularidade na carreira; Hugo é reserva do São Paulo; Rômulo, do Cruzeiro; Rafinha vai para o Ipatinga. Evaldo e Lucas, no Japão e Inglaterra, vão se dando um pouco melhor.

Correção

Fred Posselt  corrige a informação: Rafinha não é o ex-Grêmio, e sim um júnior do São Bernardo. O ranço de Muricy com o tricolor gaúcho não é tão grande assim.



 Escrito por Vicente Fonseca às 10:33 [] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 





BRASIL, Sul, PORTO ALEGRE, BELA VISTA, Homem, de 20 a 25 anos, Spanish, English, Radialista









 
 




Ace of Spades
Alça de Mira
Blog do Juca
Bola Romena
Bolão ESPN - Carta na Manga
Buscando a Saída
Cabana Ranzinza
Cofatruco
Extra
Final Sports
Idoso
Impedimento
Museo Prog'em'Bach
Natusch. Igor Natusch.
Olé
PAlegre
Pedal de Efeito
Pequenas Alegrias & Angústias
Placar
Regra de Bolso
Samba Maioral
Serviço de Mesa
To the Chaos and Back
O Transeunte
A Vida Mata a Pau
 
  Dê uma nota para meu blog

 
Locations of visitors to this page